Qual fogo você escolhe? (Malaquias 2.17-3.6)

Introdução

O mundo em que vivemos é um lugar cheio de injustiças. Sonegadores de imposto recebem desconto, condenados ricos têm os melhores advogados de defesa e se safam das penas piores, crianças morrem de fome sem que alguém as proteja, conglomerados de empresas formam cartéis e são protegidos pelo governo…

Os casos de corrupção e injustiça são tantos que por vezes tendemos a questionar se existe um Deus e se ele é realmente justo e bom. Talvez em algum momento de sua vida, você olhou a realidade de pessoas mal-intencionadas subindo na vida enquanto você, um filho de Deus permanece onde está ou enfrenta sofrimentos.

Nessas horas, é fácil questionarmos a Deus: Onde está a justiça de Deus? Será que Deus recompensa os ímpios mais do que os justos? Todos que fazem o mal aos olhos do Senhor são tratados da mesma forma do que os que fazem bem? Deus gosta mesmo é dos que não o obedecem?

Era assim que estavam se sentindo os israelitas da época de Malaquias, e estas perguntas foram feitas por eles a Deus. O questionamento da justiça de Deus não é algo incomum na Bíblia. Alguns servos fiéis a Deus, em alguns momentos o questionaram:

  • Asafe – “Com efeito, inutilmente conservei puro o coração
    e lavei as mãos na inocência. Pois de contínuo sou afligido
    e cada manhã, castigado.” (Salmo 73.13-14)
  • Jeremias – “Justo és, ó Senhor, quando entro contigo num pleito; contudo, falarei contigo dos teus juízos. Por que prospera o caminho dos perversos, e vivem em paz todos os que procedem perfidamente?” (Jr 12.1).
  •  Habacuque – “Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me responderás? Gritar-te-ei: Violência! E não salvarás? […] Por esta causa, a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta, porque o perverso cerca o justo, a justiça é torcida” (Hc 1.2-4).
  • Sofonias – “…O Senhor não faz bem, nem faz mal” (Sf 1.12).

Você já se sentiu assim? Qual é a resposta de Deus para nós?

 

Contexto

  • Em que nos tens amado?
    • Amei a Jacó e Odiei a Esaú
  • Em que desprezamos o teu nome?
    • Sacrifícios Defeituosos (1.6-14)
    • Infidelidade no sacerdócio (2.1-9)
    • Infidelidade no Casamento (2.10-16)
  • Em que o enfadamos?

 

O Problema: Teodicéia

 

2.17 Enfadais [esgotais, cansais] o SENHOR com vossas palavras;

e ainda dizeis: “Em que o enfadamos?”

Nisto, que pensais:

“Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do SENHOR, e desses é que ele se agrada:;

ou: “Onde está o Deus do juízo?”

 

O mesmo sentimento demonstrado por Asafe, Jeremias, Habacuque e Sofonias estava no povo que havia voltado do exílio. Esse é o mesmo problema que afastam tanto de Deus em nossa época: Se Deus é bom, porque existe tanto mal no mundo? Se Deus é justo e onipotente, porque existem tantas injustiças e tantas vezes os maus de dão bem e pessoas boas ou inocentes sofrem tanto?

 

Resposta: O meu mensageiro virá

 

3.1 Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim;
3.2 Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer?

 

No Antigo Oriente era muito comum enviar um mensageiro anunciando com antecedência a chegada de um rei. Este papel seria exercido por João Batista, o de preparar o caminho para que o rei viesse ao povo. Jesus testemunhou exatamente isso sobre João Batista citando este texto que estamos lendo: “Este é de quem está escrito: Eis aí eu envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho diante de ti. Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele” Mateus 11.10-11

Malaquias, no final do livro, fala novamente sobre a vinda de João Batista, que é o grande sinal de que o Messias estava vindo. “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição.” (Malaquias 4.5-6)

João Batista era o grande sinal de Deus de que ele estava pronto para cumprir a sua promessa de anos: o filho da mulher que pisaria a cabeça da serpente estava entrando em cena no teatro da história! O descendente de Abraão em quem todas as famílias da terra seriam abençoadas certamente viria. O filho de Davi que seria um rei perfeitamente justo viria ao mundo!

Qual é a resposta de Deus para as acusações de que Ele não é justo? Qual é a resposta de Deus para o problema da teodicéia? Jesus Cristo é a resposta de Deus! Ele é aquele que iria desfazer a maldição que o homem e a mulher trouxeram ao mundo quando decidiram pecar. Jesus Cristo é a solução de Deus para pessoas, grupos e para a renovação de todo o cosmos.

Assim, após falar da vinda do arauto (aquele que anuncia o rei), Malaquias profetiza a vinda de Jesus:

E então viria o Messias:

Eis que eu envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o SENHOR dos Exércitos. (Malaquias 3.1)
Note que esse cuja vinda é prometida é o próprio Yahweh, a sua vinda seria repentina (o aviso seria a vinda de João Batista). Vindo, ele teria um relacionamento especial com o templo (João 2.13-17), ele viria como Rei e Senhor, seria o Mensageiro da Aliança (a nova aliança de Jeremias 31) e sua vinda é garantida pelo Senhor dos Exércitos.
O versículo 2, no entanto, mostra que a vinda de Cristo não seria uma vinda tranquila, apenas trazendo boas notícias:

Mas quem poderá suportar o dia da sua vinda? E quem poderá subsistir quando ele aparecer? (Malaquias 3.2)

 

O resto de texto mostra que Jesus vem de duas formas: ele vem como fogo purificador e como fogo consumidor. Essa á a realidade trazida pelo pecado. Você e eu necessariamente enfrentaremos o fogo de Deus nessa vida ou depois dela. Ou seremos purificados pelo fogo purificador, ou seremos punidos pelo fogo devorador. Que fogo você quer que Cristo seja para você?

 

Jesus virá como fogo purificador

3.2 …Porque ele é como o fogo do ourives e como a potassa (lixívia) dos lavandeiros.
3.3 Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata;
purificará os filhos de Levi
e os refinará como ouro e como prata;
eles trarão ao SENHOR justas ofertas.
4 Então, a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável ao SENHOR,
como nos dias antigos e como nos primeiros anos.

É-nos dito aqui que a obra do Messias será uma obra de purificação para o seu povo. Ele é como o fogo do ourives ou como o sabão dos que lavam roupa. Jesus vem para purificar pessoas de todos os tipos e transformá-las em um povo santo, separado para Deus:

Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras (Tito 2.11-14).
Jesus é o fogo purificador de Deus, aquele que nos faz passar por provações a fim de que a nossa fé se torna muito mais preciosa do que o ouro purificado com fogo (1 Pedro 1.6-8). É claro que o processo de purificação não é gostoso. Passar pelo fogo queima. Passar pelo processo divino de purificação deixa marcas, mas assim como acontece com o processo de polimento de metais e pedras, ao final, a imagem do purificador será vista em nós.
Qual é o objetivo de todo esse árduo processo de purificação? Um culto agradável a Deus: “eles trarão ao SENHOR justas ofertas. Então, a oferta de Judá e de Jerusalém será agradável ao SENHOR, como nos dias antigos e como nos primeiros anos.” Deus promete a restauração espiritual do povo de Deus.

O povo de Deus o acusou de injustiça, questionou o seu amor, apresentou ofertas defeituosas, desprezou o Senhor e se afastou dele. Ainda assim, Deus promete que seria para eles fogo purificador em vez de fogo consumidor. Porque?

A resposta está no versículo 6:

Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.

 

Nem todos, no entanto, terão esse mesmo privilégio. Aqueles que amam a Jesus Cristo como Senhor e Salvador serão purificados. Aqueles, porém, que o desprezarem, terão de encarar a Deus como fogo consumidor.

 

Jesus virá como fogo consumidor

 

Após a vinda de Jesus como o anjo da Aliança e purificador, o que acontecerá com aqueles que não se deixarem purificar, aqueles que permanecerem nos seus pecados? Eis o que Deus diz:

 

5 Chegar-me-ei a vós outros para juízo;
serei testemunha veloz contra
os feiticeiros,
e contra os adúlteros,
e contra os que juram falsamente,
e contra os que defraudam o salário do jornaleiro,
e oprimem a viúva e o órfão,
e torcem o direito do estrangeiro,
e não me temem,
diz o SENHOR dos Exércitos.

 

O próprio Deus promete ser uma testemunha veloz contra aqueles que não se arrependerem dos seus pecados e crerem no Messias. O inferno não é um lugar de purificação, mas u lugar de punição eterna para aqueles que desprezaram o amor de Deus. Todos aqueles que não temem o Senhor e por isso se envolvem inveteradamente nas mais diversas formas de pecado terão que enfrentar a Deus como fogo consumidor (Êxodo 24.17; Hebreus 12.29). Ao final, Deus promete, toda obra das trevas, todo adultério, toda mentira, toda injustiça social e toda falta de temor de Deus serão punidas e Deus será a testemunha contra aqueles que perpetraram tais atitudes.

Ou você escolhe Jesus como seu advogado de defesa, ou ele Deus será testemunha contra você. Ou você escolhe Jesus como o seu fogo purificador, ou ele trará fogo devorador sobre você.

 

Conclusão

Qual é a resposta de Deus para o problema da teodicéia, para o fato de que há injustiça no mundo?

A resposta de Deus é Jesus Cristo, o Messias de Israel.

Embora vejamos tantas injustiça no mundo, Deus não é injusto. Ele não está ausente. Ele vê. Ele sabe. Ele está agindo. Ele trará justiça a esse mundo! Ele já enviou o arauto que preparou o caminho de Jesus Cristo. O Senhor Jesus já veio uma primeira vez e deu início à sua obra de purificação de um povo exclusivo para Deus de todas as tribos, línguas e raças. Jesus Cristo voltará e concluirá a sua obra. Então viveremos nos novos céus e nova terra, nos quais habita a justiça (2 Pedro 3.13-14).

 

Algumas ideias deste post e dos demais em Malaquias foram extraídas de:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s