Sono da Alma? OU O que acontece quando morremos?

IMG_1446

Sono da alma é o ensino de que no período entre a morte e a ressurreição que ocorrerá no futuro, a alma fica em um estado de inatividade, uma espécie de ato de dormir. Esse ensino é promovido por grupos como os adentistas e testemunhas de Jeová. Lutero, em uma de suas cartas também pendeu para tal posição: “…portanto, a minha opinião é que essas coisas são incertas. É mais provável, no entanto, que com poucas excessões, todos aqueles que morreram estão dormindo sem possuir nenhuma capacidade de sentir” (Veja este artigo sobre o assunto).

O que a Bíblia ensina sobre o assunto? É correto dizer que assim como o corpo, a alma também morre e fica inativa? Esse post defenderá que o ensino do sono da alma está errado à luz das Escrituras. Deixaremos que os textos bíblicos falem por si mesmos.

Em primeiro lugar, devemos nos lembrar de que o conceito de dormir, quando aplicado à morte, é necessariamente uma metáfora. Essa metáfora é usada diversas vezes na Bíblia:

2 Reis 14.16 Descansou [Lit: dormiu] Jeoás com seus pais e foi sepultado em Samaria, junto aos reis de Israel; e Jeroboão, seu filho, reinou em seu lugar.

Daniel 12.2 Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno.

Mateus 9.24 Retirai-vos, porque não está morta a menina, mas dorme. E riam-se dele. (Veja também Marcos 5.39; Lucas 8.52)

Mateus 27.51-53 Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas; 52 abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; 53 e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.

João 11.11-14 Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. 12 Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. 13 Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. 14 Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu;

Atos 7.60 Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu.

Atos 13.36 Porque, na verdade, tendo Davi servido à sua própria geração, conforme o desígnio de Deus, adormeceu, foi para junto de seus pais e viu corrupção.

1 Coríntios 15.6, 18-21 Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem… 18 E ainda mais: os que dormiram em Cristo pereceram. 19 Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. 20 Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 21 Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.

1 Tessalonicenses 4.13-15 Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. 14 Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. 15 Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.

2 Pedro 3.4 e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.

A maioria desses textos está relacionada à ressurreição (veja os contextos) e fica claro que o foco dos mesmos está no corpo e não no espírito (alma) daquele que está dormindo. Assim, o erro do ensino do sono da alma é aplicar à alma aquilo que as Escrituras falam a respeito do corpo. A metáfora do “sono do corpo”, aponta para o fato de que as pessoas mortas não deixaram de existir, mas seus corpos estão em um estado de inatividade (adormecidos) até que suas almas sejam novamente unidas aos mesmos.

Mas, e quanto a alma, qual é a situação das almas dos que morreram? A evidência bíblica aponta para o fato de que essas almas estão vivas e conscientes, seja em um estado de alegria na presença de Jesus Cristo (a alma daqueles que creram), seja em um estado de sofrimento.

Gênesis 5.24 Andou Enoque com Deus e já não era, porque Deus o tomou para si.

Lucas 9.30-31 Eis que dois varões falavam com ele: Moisés e Elias, 31 os quais apareceram em glória e falavam da sua partida, que ele estava para cumprir em Jerusalém.

Lucas 16.22-23 Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado. 23 No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio.

Lucas 20.37-38 E que os mortos hão de ressuscitar, Moisés o indicou no trecho referente à sarça, quando chama ao Senhor o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. 38 Ora, Deus não é Deus de mortos, e sim de vivos; porque para ele todos vivem.

Lucas 23.43 Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.

Atos 7.55-59 Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, 56 e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus. 57 Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. 58 E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. 59 E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito!

Efésios 3.14–15 Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, 15 de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra,

Filipenses 1.23 Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

1 Tessalonicenses 5.9-10 porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, 10 que morreu por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos em união com ele.

Romanos 14:9 Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos.

2 Coríntios 5.8 Entretanto, estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor.

Apocalipse 6:9–11 Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam. 10 Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? 11 Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.

Acredito que os textos acima deixam muito claro que as almas daqueles que morreram não ficam em um estado de inatividade, ou sono, mas em um estado de consciência gozando consolo e até orando a Deus por justiça, ou sofrendo tormentos. Assim, no chamado estado intermediário as almas não estão dormindo, mas ativas, experimentando os primeiros frutos resultados daquilo que a sua fé ou falta de fé resultou, seja gozo ou danação.

Para completar a história das almas, vale lembrar que o testemunho bíblico afirma que todas as almas serão ressuscitadas para o julgamento final e, então, haverá alegria eterna, em corpo e alma, para aqueles que creram e sofrimento eterno, em corpo e alma, para aqueles que não creram.

João 5.25-29 Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão. 26 Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo. 27 E lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do Homem. 28 Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: 29 os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.

João 11.25-26 Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?

Romanos 6.5 Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição

1 Coríntios 6.14 Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós pelo seu poder.

1 Coríntios 15.20-24; 42-44; 49; 51-57 Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 21 Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. 22 Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. 23 Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. 24 E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder… 42 Pois assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo na corrupção, ressuscita na incorrupção. Semeia-se em desonra, ressuscita em glória. 43 Semeia-se em fraqueza, ressuscita em poder. 44 Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual… 49 E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial… 51 Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, 52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53 Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. 54 E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. 55 Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? 56 O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. 57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.

1 Tessalonicenses 4.16 Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; 17 depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. 18 Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.

Apocalipse 20.11-15 Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. 12 Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros. 13 Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados, um por um, segundo as suas obras. 14 Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. 15 E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo.

Conclusão

A Bíblia é muito clara com relação ao que acontece com os corpos e as almas de todas as pessoas que morrem após a vinda do Senhor Jesus Cristo. O corpo entra em um estado de inatividade e decomposição, que a Bíblia chama metaforicamente de dormir. A alma dos cristãos entra imediatamente na presença de Cristo em um estado de consciência e alegria. Essa alegria ainda é incompleta pois a justiça de Deus ainda não terá sido feita de maneira completa. As almas daqueles que não creram entram em um estado de sofrimento. Todas as almas vão ressuscitar para o julgamento final. Os cristãos vão usufruir dos novos céus e nova terra e os que não creram serão lançados no lago de fogo e enxofre. Vale a pena aqui concluir com Calvino:

Entretanto, inquirir de seu estado intermediário, com demasia curiosidade, não é lícito, nem convém. Muitos se atormentam em demasia, disputando que lugar ocupam as almas nesse estado e se porventura já desfrutam ou não da glória celestial. Com efeito, é estulto e temerário indagar de causas desconhecidas mais profundamente do que Deus nos permita saber. A Escritura não avança além de dizer que Cristo está presente com elas e as recebe no Paraíso, para que desfrutem de consolação, e que as almas dos réprobos, porém, sofrem tormentos segundo seu merecimento. Que doutor ou mestre, agora, nos revelará o que Deus ocultou? (Calvino, 2006, 3.25.6)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s