Estudando Teologia no Livro dos Salmos: Lição 1 (Salmo 19)

Esta é a primeira de sete lições que publicaremos nas próximas quartas-feiras aqui no Blog Logos Português. O objetivo dessas lições é vermos alguns pontos básicos da teologia a partir do livro dos Salmos. O formato foi elaborado de forma que esse material possa ser usado em estudos de grupo ou estudo autodidata. Os tópicos serão os seguintes:

  • Lição 1: Salmo 19 – Deus quer falar com você! (Doutrina da revelação)
  • Lição 2: Salmo 139 – Quem é Deus e o que eu tenho a ver com isso? (Atributos de Deus)
  • Lição 3: Salmo 104 – Qual é o trabalho de Deus? (Criação e providência)
  • Lição 4: Salmo 8 – Homem: Fruto do acaso ou coisa melhor? (Antropologia Bíblica)
  • Lição 5: Salmo 51 – Você estragou tudo! (Pecado)
  • Lição 6: Salmo 22 – Não se desespere, há solução! (O problema do mal)
  • Lição 7: Salmo 2 – Enquanto isso, Deus ri! (Laicidade do Estado e Escatologia)

 

Lição 1

Deus quer falar com você

 

Texto base: Salmo 19

 

Hebreus 1.1-2 diz: “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo”. Deus tem falado! Esse é o pressuposto básico do cristianismo. Se Deus não tivesse falado, como conheceríamos a Sua vontade para as nossas vidas? Como conheceríamos o próprio Deus? Mas Deus falou! Falou no passado através de sonhos, visões, aparições que foram registrados no Antigo Testamento e nestes últimos dias nos falou no seu próprio Filho, e o que Ele falou foi registrado no Novo Testamento. Jesus é apresentado na Bíblia como o verbo (palavra) de Deus (João 1.1), como a expressão exata do ser de Deus (Hb 1.3) e como aquele que subsiste em forma de Deus (Fp 2.6). Jesus é a revelação mais perfeita de Deus, mas não a única. Deus usou várias formas para falar com os homens e o Salmo 19 fala sobre duas delas:

 

Os céus proclamam a glória de Deus,

e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.

Um dia discursa a outro dia,

e uma noite revela conhecimento a outra noite.

Não há linguagem, nem há palavras,

e deles não se ouve nenhum som;

no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz,

e as suas palavras, até aos confins do mundo.

Aí, pôs uma tenda para o sol,

o qual, como noivo que sai dos seus aposentos,

se regozija como herói, a percorrer o seu caminho.

Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso;

e nada refoge ao seu calor. (Salmo 19.1-6)

 

Vejam que este salmo começa falando sobre a revelação de Deus nas coisas criadas! Deus fala com o homem através da natureza. Os céus proclamam a glória de Deus! Um dia faz discurso para o outro dia! Uma noite para a outra. Apesar do discurso da natureza não ter palavras, em toda a terra se pode “ouvir” a declaração da natureza falando sobre Deus.

Mas… o que a natureza revela acerca de Deus? A carta de Paulo aos Romanos nos responde:

 

A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. (Romanos 1.18-21)

 

Através das coisas que foram criadas, podemos conhecer os atributos de Deus, o seu poder e até a sua própria divindade. A natureza revela Deus de maneira ampla, mas o pecado (a injustiça do coração dos homens) causa uma cegueira que impede o homem de conseguir ver. O triste resultado é que Deus fala com todos os homens, mas eles não querem ouvir a voz de Deus e, por isso, Deus diz, tais homens são indesculpáveis. Quando vier o grande julgamento (veja Mateus 25) os homens serão julgados culpados por causa de seu pecado de não quererem saber de Deus, mesmo tendo ele se revelado na natureza. Pessoas irão para o inferno porque Deus falou com elas, mas elas desprezaram a voz de Deus!

Deus, sabendo que o pecado cegou nosso entendimento e capacidade de ouvi-lo através da revelação na natureza, providenciou uma revelação mais clara, a fim de que possamos conhecê-lo:

 

A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma;

o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices.

Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração;

o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos.

O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre;

os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos.

São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado;

e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos.

Além disso, por eles se admoesta o teu servo;

em os guardar, há grande recompensa. (Salmo 19.7-11)

 

A Bíblia! A Palavra de Deus! Na Bíblia nós temos uma revelação mais clara, inteligível e completa da parte de Deus. A revelação bíblica se dá em palavras que formam frases e proposições passíveis de serem entendidas. Somente a Bíblia tem essa capacidade de restaurar a alma, dar sabedoria, alegrar o coração e iluminar os olhos. Somente as palavras da Bíblia garantem recompensa para aquele que as cumpre. Outros textos confirmam essa verdade:

 

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. (2Timóteo 3.16-17)

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. (Josué 1.8)

 Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. (João 17:17)

 

A Bíblia é a poderosa Palavra de Deus que nos transforma. É o meio que Deus usou e usa para falar com os homens. É o meio que Deus quer usar para falar com você. Para ter amizade com alguém é necessário conhecer tal pessoa conversando com ela. Deus tem conversado conosco na Bíblia. Ele quer que O conheçamos. Ele quer que conheçamos a Sua vontade. Ele quer estabelecer um relacionamento conosco.

E qual deve ser a nossa atitude diante de toda esta revelação de Deus?

 

Quem há que possa discernir as próprias faltas?

Absolve-me das que me são ocultas.

Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine;

então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão.

As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração

sejam agradáveis na tua presença,

SENHOR, rocha minha e redentor meu! (Salmo 19.12-14)

 

Davi, no final do Salmo 19, após falar sobre a revelação de Deus na natureza e sobre a revelação de Deus em sua Palavra não teve outra atitude senão arrependimento e consagração. A Bíblia não é um livro informativo ou acadêmico. Nem mesmo Deus quer que o conheçamos apenas para que fiquemos mais espertos! Deus, através de sua Palavra, quer nos transformar para melhor. Quer fazer com que sejamos aquilo para o que Ele nos fez. Quer que entendamos que somos pecadores, e entendendo isso, Deus nos convida para o arrependimento e para uma nova vida de comunhão com Ele. Davi ao ver Deus através da natureza e da Palavra viu-se como um pecador. Ele teve uma experiência parecida com a do profeta Isaías:

No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. 2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado. Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim. (Isaías 6.1-8)

 

Isaías viu Yahweh, o Senhor! O Senhor se revelou a Isaías em uma daquelas antigas maneiras que Deus fazia. Esta revelação fez com que Isaías se visse como um pecador. Deus o purificou e passou a usá-lo como profeta. Revelação, arrependimento e consagração, eis o padrão de Deus. Deus tem se revelado a nós em sua Palavra. Deus tem falado conosco através da Bíblia. Como temos respondido? Tem havido arrependimento e consagração de nossa parte? O Senhor do Universo se revela todos os dias para você por meio natureza. Ele se revela na Bíblia e pode ser ouvido a qualquer hora que você tiver interesse de realmente ouvi-lo na Palavra. Ele espera que você O conheça e responda da maneira adequada, com arrependimento e uma nova proposta de vida diante dele. Você aceita?

 

Oração: Senhor Deus, obrigado pela tua revelação na natureza. O céu, o sol, as estrelas, o mar, as árvores, os animais, tudo. Toda a natureza revela seu grande poder, seus atributos e sua divindade. Deus Santo, obrigado de maneira ainda mais especial pela Bíblia, a Tua Palavra. Nela o Senhor tem revelado de maneira clara a Tua vontade, a Tua grandeza, os nossos pecados e a salvação que o Senhor providenciou através de Cristo. Portanto, ó Deus, recebe o nosso arrependimento. Somos pecadores. Pecamos através de atitudes, palavras, pensamentos e motivações. Pecamos deixando de fazer o que deveríamos e fazendo o que é contrário a Tua vontade revelada. Por tudo isso pedimos-Te perdão. E, uma vez perdoados, ajuda-nos a viver uma nova vida que seja agradável a ti, falando, pensando e vivendo a Tua Palavra. Em nome de Jesus, o Salvador, Amém.

 

 

Leituras Sugeridas para a Semana

 

1º Dia: Romanos 1.18-32 (Deus se revela, mas o homem, pecador, não quer ouvir e, por isso, é culpado)

2º Dia: Salmo 1 (o justo que medita na Lei é bem sucedido)

3º Dia: Êxodo 20.1-17 (a vontade de Deus revelada)

4º Dia: Hebreus 4.1-16 (Hoje, ouça a voz de Deus. Quem não ouvir não entrará no Descanso de Deus)

5º Dia: Hebreus 1.1-4 (Deus se revelou de muitas formas, Jesus é a principal delas, os porquês)

6º Dia: João 1.1-14 (Jesus, e perfeita revelação de Deus)

7º Dia: Salmo 139 (Texto-base da lição 2)

 

Textos Bíblicos Citados e Textos Sugeridos para a Semana

 

Hebreus 1.3 Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas

 

João 1.1-2 1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus.

 

Filipenses 2.5-6 5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus

 

Mateus 25.31-46 Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; 32 e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; 33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; 34 então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. 35 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; 36 estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. 37 Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? 38 E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? 39 E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? 40 O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. 41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. 42 Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; 43 sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me. 44 E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos? 45 Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer. 46 E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.

 

Romanos 1.18-32 18 A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; 19 porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. 20 Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; 21 porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. 22 Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos 23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. 24 Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; 25 pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém! 26 Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; 27 semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro. 28 E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, 29 cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, 30 caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, 31 insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia. 32 Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.

 

Salmo 1.1-6 1 Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 2 Antes, o seu prazer está na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. 3 Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido. 4 Os ímpios não são assim; são, porém, como a palha que o vento dispersa. 5 Por isso, os perversos não prevalecerão no juízo, nem os pecadores, na congregação dos justos. 6 Pois o SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá.

 

Êxodo 20.1-17 Então, falou Deus todas estas palavras: 2 Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. 3 Não terás outros deuses diante de mim. 4 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. 5 Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem 6 e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. 7 Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. 8 Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. 9 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. 10 Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; 11 porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou. 12 Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá. 13 Não matarás. 14 Não adulterarás. 15 Não furtarás. 16 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. 17 Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.

 

Hebreus 4.1-16 1 Temamos, portanto, que, sendo-nos deixada a promessa de entrar no descanso de Deus, suceda parecer que algum de vós tenha falhado. 2 Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhes aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. 3 Nós, porém, que cremos, entramos no descanso, conforme Deus tem dito: Assim, jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso. Embora, certamente, as obras estivessem concluídas desde a fundação do mundo. 4 Porque, em certo lugar, assim disse, no tocante ao sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as obras que fizera. 5 E novamente, no mesmo lugar: Não entrarão no meu descanso. 6 Visto, portanto, que resta entrarem alguns nele e que, por causa da desobediência, não entraram aqueles aos quais anteriormente foram anunciadas as boas-novas, 7 de novo, determina certo dia, Hoje, falando por Davi, muito tempo depois, segundo antes fora declarado: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração. 8 Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria, posteriormente, a respeito de outro dia. 9 Portanto, resta um repouso para o povo de Deus. 10 Porque aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas. 11 Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência. 12 Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. 13 E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas. 14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 15 Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. 16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

 

Hebreus 1.1-4 1 Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. 3 Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, 4 tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles.

 

João 1.1-14 1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. 4 A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. 6 Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. 7 Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. 8 Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, 9 a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. 10 O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. 14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s