Guia para o voto do cristão

  1. Ore a respeito das eleições e peça sabedoria a Deus para escolher seu candidato. Ore pelo país, pelos governantes atuais e pelos candidatos.
  2. Conheça a história, os valores e as propostas dos candidatos e de seus partidos.
  3. Vote nos candidatos mais competentes e honestos, cujos valores sejam mais afinados aos do Cristianismo.
  4. Não vote em candidatos avessos a valores cristãos fundamentais como a liberdade de culto, a preservação à vida, a família tradicional e a proteção dos mais vulneráveis da sociedade.
  5. Não escolha candidatos com base em promessas de benefícios pessoais ou denominacionais, amizade, nem propostas eleitoreiras infactíveis. O candidato tem que ser o melhor para a nação, estado ou cidade como um todo, especialmente para os mais desprovidos.
  6. Escolha um candidato que vá castigar aqueles que fazem o mal (independente da condição socioeconômica) e recompensar os que fazem o bem.
  7. Lembre-se continuamente que a nossa pátria e cidadania mais importantes são as celestiais e que, antes de tudo, somos súditos do Rei Jesus.
  8. Influencie outras pessoas a ter essa mesma concepção e atitudes.

 

Esse Guia para o Voto Cristão baseia-se em alguns princípios bíblicos que dizem respeito ao relacionamento do cristão com a política e a interação entre o cristão e o mundo em geral. Esses princípios são:

 

  1. Os governos do mundo são secundários. Nós, cristãos, vivemos no Reino de Deus, uma monarquia em que o Deus Triúno é o Rei.
  2. O mundo é o mundo de Deus e todos são seus súditos, voluntários ou rebeldes, e no devido tempo arcarão com as consequências de suas atitudes ou serão salvos da ira pela graça mediante a fé em Jesus Cristo.
  3. Deus está em uma missão de restaurar o cosmos e as pessoas, os cristãos são chamados a trabalhar junto com Deus nessa missão.
  4. A Igreja é a nova sociedade de Deus. Ela tem o dever de viver e pregar a lei de Deus, demonstrar e pregar a graça e de se submeter às leis civis enquanto estas não ferirem à lei principal, a de Deus.
  5. A lei civil do Israel teocrático não serve como regra obrigatória, mas serve como modelo de justiça e expressão da vontade de Deus no mundo caído.
  6. Existe uma profunda corrupção que permeia indivíduos, instituições, grupos e nações em todas as suas faculdades e esferas e consequente em todos os seus sistemas de pensamento e produções artísticas e acadêmicas.
  7. A graça de Deus permite que indivíduos com diferentes graus de corrupção pessoal recebam revelações de verdades e tenham atitudes, posicionamentos, valores, sentimentos, desejos e produções concomitante e parcialmente verdadeiras e falsas.
  8. A Bíblia é a palavra escrita de Deus e, corretamente interpretada, apresenta a vontade de Deus em princípios e mandamentos para todos os seres humanos, instituições, grupos e nações e por isso mesmo, deve ser usada como instrumento de julgamento e redenção de atitudes, posicionamentos, valores, sentimentos, desejos e produções humanos, quer individuais, quer comunitários.
  9. Deus aprova a propriedade privada, mas condena toda forma, individual ou sistêmica, de corrupção e opressão humana.
  10. Jesus Cristo proveu o exemplo por excelência de poder servil e conclama todos os seres humanos investidos de poder que o imitem.
  11. Cristãos chamados por Deus para isso, podem e devem ter carreira política, mesmo em governos corruptos, mas de forma que mantenham sua lisura (santidade) pessoal e sejam agentes de mudanças.
  12. Enquanto cidadãos da terra dos homens, os cristãos têm o dever de pregar o evangelho, de orar, de buscar a paz da cidade, de se submeter, de votar em governantes que não conspirem contra o Senhor e contra o seu Ungido, de denunciar a corrupção e a opressão dos mais frágeis da sociedade, de resistir pacificamente quando obrigados a fazer algo contrário à lei de Deus.
  13. Quanto à posição político-econômica, Deus, conforme auto-revelado por meio da Bíblia, não é de esquerda, nem de direita; não é liberal, nem conservador; não é republicano, nem democrata; não é socialista-comunista, nem capitalista. Ele é a origem das chispas de verdades contidas em cada um desses sistemas e condena e condenará suas perversões ideológicas e práticas injustas.

 

João Paulo Thomaz de Aquino

 

 

Um comentário sobre “Guia para o voto do cristão

  1. joelbarbwright disse:

    Obrigado pelo desafío. Estamos orando daqui até lá, em favor do brasil e as eleições. Grande abraço amado Pr., Dr. João Paulo! Estamos bem aqui…progredindo no alvo do Reino, realizando cultos nos lares, etc…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s