Assim Como Nós Perdoamos Os Nossos Devedores? Agora Complicou!

Qual foi a última vez que você perdoou a dívida de alguém que te devia dinheiro? E quando foi a última vez que você disse sinceramente a alguém que te lesou ou feriu: eu te perdôo? Considerando a seriedade do que Jesus nos ensina na oração do Pai Nosso, o perdão deveria ser algo mais comum para os cristãos em todos os seus relacionamentos. Mas vamos ao texto antes de extrairmos dele as devidas aplicações.

 

Esse é um dos textos bíblicos que os cristãos mais temem. Conheci pessoas que não faziam essa parte da oração com medo de se colocarem em uma posição complicada diante de Deus! Não adianta, pois o princípio expresso na oração continua sendo válido, independente se você fala ou não essa parte da oração. Antes de continuarmos, no entanto, vamos olhar para o texto:

 

Grego UBS 4ª ed. Tradução Literal
12 καὶ ἄφες ἡμῖν τὰ ὀφειλήματα ἡμῶν, E perdoa de nós as dívidas nossas
ὡς καὶ ἡμεῖς ἀφήκαμεν τοῖς ὀφειλέταις ἡμῶν· assim como nós perdoamos aqueles que devem a nós
13 καὶ μὴ εἰσενέγκῃς ἡμᾶς εἰς πειρασμόν, E não guia-nos para tentação
ἀλλὰ ῥῦσαι ἡμᾶς ἀπὸ τοῦ πονηροῦ. Mas livra-nos do mal
14 Ἐὰν γὰρ ἀφῆτε τοῖς ἀνθρώποις τὰ παραπτώματα αὐτῶν, Pois se perdoardes aos homens as ofensas deles
ἀφήσει καὶ ὑμῖν ὁ πατὴρ ὑμῶν ὁ οὐράνιος· Perdoará de vós também o Pai vosso celeste
15 ἐὰν δὲ μὴ ἀφῆτε τοῖς ἀνθρώποις, Se não perdoardes aos homens
οὐδὲ ὁ πατὴρ ὑμῶν ἀφήσει τὰ παραπτώματα ὑμῶν. Nem o Pai vosso perdoará as ofensas vossas

 

Note que o versículo 13 apresenta o último pedido da oração do Pai Nosso (não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal). O versículo 14 não é parte da oração do Pai Nosso, mas uma explicação adicional que Jesus decide dar. Qual foi o único aspecto da oração que Jesus julgou ter necessidade de explicar e fundamentar melhor? Pois é, exatamente o “assim como nós…”.

O verbo perdoar, ἀφίημι (afiemi), é usado 6 vezes nos versículos 12, 14 e 15 (2 x em cada). Essa palavra que em sua origem está ligada à ideia de separação física, tem o significado de “liberar de uma obrigação legal ou moral, cancelar, remir, perdoar”.[1] No versículo 12, Jesus coloca o perdão no contexto financeiro, visto que o pedido é feito usando a palavra ὀφείλημα (ofeilema) que significa “aquilo que é devido no sentido financeiro, débito, dívida”.[2] Assim, Jesus usou algo muito objetivo para falar sobre perdão. Perdoar é deixar de cobrar algo que era seu por direito, considerando que a pessoa, mesmo sem ter pago, já não deve mais nada a você.

Em suma, nós temos dívidas para com Deus. Ele é totalmente perfeito e nos fez para sermos totalmente perfeitos. Todos os nossos pensamentos, atitudes, motivações e ações pecaminosas, bem como o não praticar o bem quando deveríamos nos deixam em uma posição de débito impagável para com Deus. Ainda assim, ele nos perdoa com base no pagamento que o seu Filho fez por nós na cruz. Assim, da mesma forma, Jesus nos ensina que nós devemos perdoar aqueles que nos prejudicaram de alguma forma.

Nos versículos 14 e 15 Jesus usa outra palavra para ofensas: παράπτωμα (paraptoma), “uma violação dos padrões moral, ofensa, erro, pecado”.[3] É acalentador nesse contexto, ao falar sobre os nossos pecados, Jesus chamar Deus de o nosso Pai Celeste. Ele não é um Deus sedento por sangue, mas o nosso Papai do céu que quer nos perdoar.

O website da revista Psychology Today define perdão como “reunir compaixão genuína para com aqueles que nos ofenderam em vez de permitir que a ira contra eles nos consuma”.[4] Em suma, o perdão de Deus para conosco é o modelo e medida do perdão que devemos àqueles que nos ofendem. Mas, como é o perdão de Deus? A Bíblia mostra que o perdão de Deus é total, quando ele perdoa ele não se lembra do que aconteceu (Jr 31.34[5]; Sl 32.1-2[6]; Hb 8.12[7]). É evidente que o Deus onisciente não se esquece de nada, mas a ideia é que Deus não deixa que aquele evento interfira em seu modo de se relacionar conosco. Ele não nos tratará como culpados, mas como se tivesse se esquecido do mal que fizemos.

Outra característica do perdão de Deus é que ele está ligado ao arrependimento do ofensor (2Cr 7.14[8]; Is 55.5-6[9]; 1Jo 1:9[10]; Êx 34.7[11]; Sl 32.5[12]). Ou seja, Deus perdoa àqueles que buscam o Seu perdão. Essa é também a obrigação que Deus exige de nós, que perdoemos aqueles que nos pedem perdão: “Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe” (Lucas 17.3-4). Note que havendo pedido de perdão o cristão tem a obrigação cristã de perdoar, independente de qual foi a ofensa! O cumprimento disse é tão complicado que a resposta dos discípulos de Jesus foi: “Aumenta-nos a fé” (Lc 17.5). A resposta de Jesus foi a parábola cuja lição moral é, o problema de vocês não é falta de fé, mas falta de obediência.[13]

Em suma, a regra do “perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos os nossos devedores” é muito clara e não exige grandes malabarismos de interpretação. O cristão tem obrigação de perdoar aqueles que o ofendem, sob pena de não ser perdoado por Deus. Podemos olhar este texto de duas formas, 1. aquele que não perdoa não será perdoado por Deus, isto é, nunca foi perdoado por Deus; 2 aquele que não perdoa sofre, na terra, as conseqüências de não ter sido perdoado.

Todos nós precisamos de perdão e precisamos perdoar. Quais são as pessoas que lesaram você, com as quais você tem que acertar contas? Lembre-se que que mesmo se a pessoa não te procurar voluntariamente, você deve ir até ela para resolver o problema (Mt 18.21-22; Lc 17.3). Lembre-se que a dívida que Deus perdoou a você era impossível de se pagar, incomparavelmente menor do que qualquer ofensa da qual você tenha sido alvo (Mt 18.23-35). Assim, peça a graça de Deus e perdoe. Insista na graça de Deus para que você consiga realmente restaurar aquele que te ofendeu, assim como Deus te perdoa e restaura.[14]

 

Marcos 11.25-26 E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.

Colossenses 3.13 Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;

Efésios 4.32 Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

 

Originalmente publicado em portugues.logos.com

 


[1] William Arndt, Frederick W. Danker, and Walter Bauer, A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature (Chicago: University of Chicago Press, 2000), 156.

[2] William Arndt, Frederick W. Danker, and Walter Bauer, A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature (Chicago: University of Chicago Press, 2000), 743.

[3] William Arndt, Frederick W. Danker, and Walter Bauer, A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature (Chicago: University of Chicago Press, 2000), 770.

[4] https://www.psychologytoday.com/basics/forgiveness

[5] Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais me lembrarei (Jr 31.34)

[6] Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo. (Salmo 32.1-2)

[7] Pois, para com as suas iniqüidades, usarei de misericórdia e dos seus pecados jamais me lembrarei. (Hb 8.12)

[8] Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra (2Co 7.14).

[9] Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar. (Is 55.5-6)

[10] Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. (1Jo 1.9)

[11] que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniquidade dos pais nos filhos e nos filhos dos filhos, até à terceira e quarta geração! (Ex 34.7)

[12] Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. (Salmo 32.5)

[13] Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá… Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer. (Lucas 17.6, 10)

[14] Leia Oséias 1—2 e Ezequiel 16.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s