O Trovão é a Voz de Deus: Salmo 29

Quando li o Salmo 29 pela primeira vez como um pastor procurando um texto para pregar, pensei que o Salmo 29 seria o texto perfeito para falar a respeito da Bíblia, afinal poucos textos falam de maneira tão poderosa sobre “a voz de Deus”. Depois de ler o texto algumas vezes sem entendê-lo direito (afinal, eu estava procurando o que o texto falava sobre a Bíblia), desisti de pregá-lo no dia da Bíblia e resolvi continuar estudando.

 

Li diversas vezes, fiz minha própria tradução (veja abaixo), estudei o contexto histórico-religioso-cultural e fiquei cada vez mais impressionado com o que vi. O Salmo 29 fala sobre a voz de Deus, mas fala sobre como essa voz pode ser percebida nos trovões e tempestades. Leiamos o texto antes de continuar:

 

Salmo de DaviAtribuí a YAWEH filhos de DeusAtribuí a YAWEH glória e força
Atribuí a YAWEH a glória do seu nomeProstrai a YAWEH na beleza da [sua] santidade
[A] voz de YAWEH [está] sobre as águasTroveja YAWEH sobre as muitas águas
A voz de YAWEH é poderosaA voz de YAWEH é majestosa
A voz de YAWEH quebra cedrosYAWEH arrebenta cedros do Líbano
Ele os faz saltar como bezerroLíbano e Siriom como crias de bois selvagens
A voz de YAWEH despede chamas de fogo
A voz de YAWEH faz contorcer o desertoYAWEH faz contorcer o deserto de Kadesh
A voz de YAWEH faz contorcer no parto as cervase desnuda os bosquesNo seu templo todos dizem glória
YAWEH está assentado sobre o dilúvioYAWEH como rei, sentará para sempre
YAWEH dá força ao seu povoYAWEH abençoa seu povo com shalom

 

Vamos entender o contexto. Israel estava circundada por nações que adoravam deuses diferentes de Yahweh. O principal deus na região de Israel era Baal. Baal era o deus do clima, da chuva e do trovão e consequentemente da agricultura e da fertilidade. Havia a crença de que ele era morto por Moot no verão e ressuscitado por Astarote (deusa da fertilidade, sexualidade e da guerra), trazendo as chuvas necessárias para a fertilidade da terra. O culto à Baal envolvia prostituição cultual e orgias, visando de alguma forma influenciar a atividade de Astarote que visava ressuscitar Baal. Muitas vezes Israel caiu na tentação de adorar Baal e Astarote.

Baal Relief
Imagem disponível no Logos Bible Software

 

É nesse contexto cuja principal divindade era o “deus da tempestade” que Davi escreveu esse Salmo, convidando as pessoas a adorarem Yahweh, o verdadeiro Deus da tempestade. Os dois primeiros versículos são um convite à adoração: “Tributai ao Senhor, filhos de Deus, tributai ao Senhor glória e força. Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade”.

 

Nos versículos 3 a 9 a personagem principal é a voz de Deus. No entanto, em vez de falar sobre a Bíblia, “a voz do Yahweh” nesse texto é o trovão. Em vez de focar na revelação especial de Deus na Bíblia, Davi resolveu focar em um evento específico da revelação geral: os trovões.

 

A Wikipedia afirma que apenas 1% da energia do evento atmosférico que gera o raio e o trovão é transformada em som! O resto é calor e luz. Deus usou trovões na Bíblia como sinal de julgamento (Êxodo 9.23s; 1Sm 2.10; 7.10; 12.17-18; Sl 18.13; Is 29.6; Ap 8.5; 11.19; 16.18), como parte de sua revelação no Monte Sinai (Êxodo 19.16, 19; 20.18) e algures (Jó 26.14; 28.26; 36.29; 37.2, 4-5; 38.25; Sl 77.17-18; 81.7; 104.7; Jr 10.13, 51.16; Ap 4.5). Além do Salmo 29, outros textos falam do trovão como a voz de Deus (2Sm 22.14; Jó 40.9; João 12.29; Ap 6.1; 10.3-4; 14.2).

 

Yahweh é o Senhor das tempestades e dos trovões e não Baal! Yahweh é o Senhor das tempestades e dos trovões e não a mãe natureza ou o acaso. Deus fala por meios dos trovões, ele julga e ele dá a conhecer do seu poder. As características que vemos da voz de Deus (trovões) nesse salmo são: a voz de Deus está sobre as águas (v. 3), a voz do Senhor é poderosa (v. 4), a voz do Senhor é destruidora (v. 5), a voz do Senhor é inquietante (v. 6); a voz do Senhor traz fogo consigo (v. 7); a voz do Senhor faz tudo tremer (v. 8); a voz do Senhor cria e destrói (v. 9); a voz do Senhor evoca glória!

 

Na última parte do Salmo, depois de conclamar os filhos de Deus que louvem a Deus e desrever os trovões (a voz de Deus) ao ponto de evocar glória o salmista aplica a mensagem construída até aqui: “O Senhor preside aos dilúvios; como rei, o Senhor presidirá para sempre. O Senhor dá força ao seu povo, o Senhor abençoa com paz ao seu povo.” Colocando em pontos, a aplicação de Davi é: (1) Deus Yahweh é soberano sobre as tempestades (e não Baal) e (2) Esse Deus totalmente poderoso e temível tem uma aliança de amor com seu povo, pela qual lhes promete fortalecer e abençoar com paz.

 

O Deus dos judeus, Yahweh, o Deus Pai de Jesus Cristo é o Senhor do dilúvio, das tempestades, dos raios, dos furacões e dos tsunamis. Ele é o Senhor cuja voz ribomba e faz tudo tremer e gritar: glória! Ao mesmo tempo, ele é o Deus que usa todo o seu poder, para fortalecer e dar paz àqueles que o amam por meio de Jesus Cristo.

 

Aplicações: (1) na próxima tempestade, procure ouvir a Deus, bem como em outros fenômenos da natureza. (2) Reconheça a glória desse Deus Todo-Poderoso. (3) Apresente a verdade de Deus para um mundo que apresenta outros deuses (Gaia, ciência) e explicações para os fenômenos da criação de Deus. (4) Tema Yahweh, o verdadeiro Senhor das tempestades. (5) Procure em Yahweh a força e paz de que você precisa.

 

Publicado originalmente em portugues.logos.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s