Deus dá nova oportunidade ao pecador

 

IMG_0072
Evidência arqueológica encontrada na Babilônia, narrando a maneira bondosa que o rei babilônico Evil Merodaque tratou o rei de Judá, Joaquim, seus filhos e outros oito judeus.

Terminei de ler 2 Reis esses dias. É muito triste ver quantos reis “fizeram o que era mau perante o Senhor”, alguns chegando ao absurdo de sacrificar os próprios filhos como oferenda a falsos deuses. Como consequência, o segundo livro dos Reis narra a queda da capital Samaria e Israel indo para o exílio assírio (2 Reis 17.3-6) e o por quê isso aconteceu (2 Reis 17.7-23). Tristemente, a nação de Judá liderada por reis ímpios também se apartou de Deus e enfrentou o mesmo destino que Israel, tendo sua capital destruída e seu povo levado para o exílio na Babilônia (2 Reis 25.1-22).

 

E assim termina Reis: Israel (e sua capital, Samaria) e Judá (e sua capital, Jerusalém) destruídas e o povo de Deus espalhado por vários lugares do mundo e tudo isso como consequência do fato do povo de Deus ter ignorado Sua lei e abandonado o próprio Senhor. É muito curioso, portanto, o fato de que os últimos versículos do livro narrem a ascensão de Evil-Merodaque ao trono da Babilônia e a maneira bondosa que ele passa a tratar o rei Joaquim, que já estava no exílio há 37 anos! Veja o relato:

27 No trigésimo sétimo ano do cativeiro de Joaquim, rei de Judá, no dia vinte e sete do duodécimo mês, Evil-Merodaque, rei da Babilônia, no ano em que começou a reinar, libertou do cárcere a Joaquim, rei de Judá. 28 Falou com ele benignamente e lhe deu lugar de mais honra do que a dos reis que estavam com ele na Babilônia. 29 Mudou-lhe as vestes do cárcere, e Joaquim passou a comer pão na sua presença todos os dias da sua vida. 30 E da parte do rei lhe foi dada subsistência vitalícia, uma pensão diária, durante os dias da sua vida. (2 Reis 25.27-30).

Por que o autor de Reis concluiu a sua obra com esse relato? Por que ele não terminou com a tragédia? O autor bíblico quis deixar claro que Deus não se esquecera de seu povo. Ainda havia esperança, pois o Deus que Israel e Judá desprezaram não desistira totalmente do seu povo, assim como ele não desiste totalmente de nenhum daqueles que realmente são filhos: “se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.” (2 Timóteo 2.13)

Essa mesma maneira sutil de mostrar a fidelidade de Deus é utilizada pelo escritor de Juízes na história de Sansão. Depois de narrar como Sansão foi traído por Dalila, teve seus cabelos cortados, perdeu sua força, teve os olhos vazados, virou motivo de chacota e, principalmente, que o Senhor o havia abandonado (Juízes 16.20), o autor bíblico conclui essa triste cena com o comentário: “E o cabelo da sua cabeça, logo após ser rapado, começou a crescer de novo.” (Juizes 16.22). Novamente, as Escrituras usam uma maneira indireta para lembrar ao leitor que Deus não abandona os seus para sempre, ainda que permita que sofram duramente as consequências dos seus pecados.

Tanto Israel e Judá sofrendo as terríveis agruras do exílio, quanto Sansão vivendo profunda humilhação foram consequências drásticas por causa dos seus pecados e afastamento do Senhor. Mesmo advertidos por sofrimentos menores, o povo de Deus e Sansão decidiram persistir no pecado e aprofundar o afastamento de Deus e, pagaram duramente por isso.

É evidente, portanto, que o ideal é buscar o Senhor e se arrepender antes que venham punições mais duras da parte dele. No entanto, caso você seja um filho de Deus vivendo uma situação de profundo abandono da parte do Senhor por causa dos seus próprios pecados, lembre-se arrependido de que o Senhor não se esquece dos seus e ele mesmo providenciará uma maneira de reconstruir e restaurar tua comunhão com Ele, ainda que dolorosa. Ainda que o brilho da história não seja o mesmo por causa do pecado, o Senhor ainda pode restaurar a sorte do seu povo como as torrentes do Neguebe (Salmo 126) e pode usar seus escolhidos para fazer a sua obra de alguma forma. Independente de onde está o teu relacionamento com Deus atualmente, busque o Senhor e mude de perspectiva, de atitude e de vida.

Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar. (Isaías 55.6-7)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s