A melhor exegese, o melhor exegeta (João 1.1-18)

teste

Uma das matérias mais temidas nos estudos teológicos é a exegese. Exegese é o estudo aprofundado de um texto bíblico (um parágrafo, perícope) que faz uso de diversas ferramentas a fim de lançar luz sobre o texto. O que nem sempre lembramos é que o conceito “exegese” pode ser encontrado na própria Bíblia.

No parágrafo de abertura do evangelho de João (o prólogo, João 1.1-18), Jesus Cristo é apresentado por meio de vários de seus atributos. O último versículo desse texto (Jo 1.18), fala exatamente que Jesus é aquele que faz uma exegese do Deus invisível para nós.

Grego UBS: “θεὸν οὐδεὶς ἑώρακεν πώποτε· μονογενὴς θεὸς ὁ ὢν εἰς τὸν κόλπον τοῦ πατρὸς ἐκεῖνος ἐξηγήσατο” (exegesato).

NVI: “Ninguém jamais viu a Deus, mas o Deus Unigênito, que está junto do Pai, o tornou conhecido“.

ARA: “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou“.

ARC: “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer“.

NTLH: “Ninguém nunca viu Deus. Somente o Filho único, que é Deus e está ao lado do Pai, foi quem nos mostrou quem é Deus”.

Esse texto mostra de forma clara o que é fazer uma exegese! O Pai é invisível para nós e, portanto, desconhecido. Para resolver esse problema de nossa ignorância com relação a Deus, Jesus Cristo veio como a melhor e mais perfeita exegese (explicação, revelação, apresentação) de Deus. No ótimo dicionário BDAG, esses são os significados do verbo e do substantivo ligados à palavra exegese: “O verbo grego ἐξηγέομαι significa “1. relatar em detalhe, dizer, reportar, descrever… 2. colocar diante em grande detalhe, expor. O substantivo, ἐξήγησις, significa: “1. narração de provê uma descrição detalhada, narrativa, descrição… 2. colocação algo adiante em grande detalhe, explicação, interpretação” (BDAG, p. 349 et seq.)”.

Porque precisamos de exegese? Uma exegese se faz necessária porque algo (evento, coisa, pessoa, texto) é desconhecido, está oculto ou não está claro o suficiente. Jesus é o melhor exegeta e a melhor exegese porque de forma perfeita (ainda que não exaustiva por causa das nossas limitações) ele nos revela o Pai. Ele é a melhor exegese por vários motivos, segundo o texto de João 1.1-18:

1. Jesus é a palavra (Jo 1.1-2): conhecemos a Deus não apenas por meio de sentimentos impossíveis de se explicar, mas Jesus Cristo é a própria palavra encarnada. Ele é palavra inteligível, Ato comunitativo que cria, anima, repreende, promete, consola e explica de forma inteligível.

2. Jesus estava com Deus (Jo 1.1-2): Jesus Cristo pode nos apresentar e explicar o Deus invisível porque ele estava com ele desde o princípio. Ele conhece a Deus perfeitamente.

3. Jesus é Deus (Jo 1.1-3): Jesus Cristo, a palavra (o logos, o verbo), pode nos mostrar a Deus porque ele mesmo é Deus. Ele é o Emanuel (Deus conosco) prometido.

4. Jesus é a luz verdadeira que ilumina a todo homem (Jo 1.4-9): No começo da história, o Diabo colocou todos os homens na escuridão do pecado. A luz de Cristo começou a brilhar já em Gênesis 3.15, em forma de promessa. Jesus é a única luz que pode conduzir o homem ao Deus desconhecido. E ele pode fazer isso qualquer um.

5. Jesus transforma em filhos de Deus a todos que o recebem (Jo 1.10-13): Jesus veio para o seu mundo que ele mesmo criou. O seu próprio povo o rejeitou. Aqueles, entretanto, que o receberam e o recebem, ou seja, aqueles que creem nele, recebem o poder de serem adotados por Deus. Jesus é a melhor exegese de Deus porque ele transforma aqueles que o aceitam em filhos adotivos do Deus invisível. De desconhecido ele se torna nosso pai. De rebeldes e inimigos, nós nos tornamos seus filhos.

6. Jesus se fez carne e acampou entre nós (Jo 1.14): Ninguém jamais havia visto a Deus. Jesus é o melhor exegeta porque ele mesmo, sendo Deus, também se fez ser humano a fim de poder nos mostrar Deus, “porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade” (Cl 2.9).

7. Jesus mostra a glória de Deus (Jo 1.14): Com seus feitos e palavras; e com sua vida, morte e ressurreição, Jesus nos mostra a glória de Deus. A beleza dos atributos perfeitos e santos do Deus infinito podiam ser vistos no Jesus histórico, revelado a nós de forma especial nos evangelhos.

8. Jesus é cheio de graça e de verdade (Jo 1.14, 17): Nós somos dados a extremos. Somos mais tendentes à graça ou a verdade. Dificilmente encontramos o balanço apropriado entre essas caracetrísticas em nós mesmos, em nossa maneira de nos relaiconarmos com os outros em em nossa maneira de vermos a Deus. Jesus é a melhor exegese de Deus pois ele mostra como graça e verdade existem de maneira inesgotável e harmoniosa em Deus.

9. Jesus nos dá graça sobre graça (1.15-16): Somos pecadores. Deus é santo. Como é possível, então, que ao conhecer o Deus invisível não sejamos consumidos como alvos de sua ira justa? Isso só é possível porque na cruz Jesus conquistou salvação para nos dar de graça. Recebemos a lei por meio de Moisés. A graça que salva, no entanto, encontramos somente em Jesus Cristo.

10 Jesus é o Filho-Deus unigênito de Deus (1.14, 18): Finalmente, Jesus é a melhor exegese e o melhor exegeta porque ele é o próprio Filho unigênito de Deus. Ele nunca foi criado. Ele não é um ser inferior ao Pai. Ele é o próprio Deus Filho. É isso que os pais da igreja confessaram no Credo Niceno (325 AD): “Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos Deus de Deus, Luz da luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não feito, da mesma substância do Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas”.

Jesus é a melhor exegese e o melhor exegeta de Deus. Na verdade, Jesus Cristo é a única exegese autorizada por Deus e único caminho que leva ao Pai. Somente ele pode tirar o ser humano das trevas. Para conhecer o Deus invisível, só há uma forma: aceitar, conhecer e amar esse Jesus Cristo.

E o que isso tudo tem a ver com a exegese que se ensina nos seminários e que os pastores devem fazer para pregar? Tudo. Se Jesus é a única exegese autorizada de Deus o nosso papel como exegetas é encontrar Jesus em cada texto das Escrituras. Devemos usar todas as ferramentas que estão à nossa disposição (história, gramática, linguística, análise social, estudos das formas, retórica, estudos literários mais diversos) a fim de tornar claro, explicar, revelar como o Cristo que revela a Deus se apresenta naquele trecho das Escrituras e como, a partir dele, podemos conhecer a Deus, entrando em um relacionamento filial com ele.

Com a ajuda do Espírito, nós fazemos exegese do texto bíblico e encontramos a Cristo. No processo, o Espírito faz uma exegese de nós. Conhecendo mais a nós mesmos e a Cristo, por meio do Espírito, somos levados à comunhão com Deus. Nessa dinâmica relacional gerada pela Palavra inspirada de Deus, apresentamos o fruto de nossa exegese às pessoas a fim de que elas também, pelo mesmo Espírito, sejam trazidas a essa comunhão sobrenatural com Deus, em Cristo.

Jesus é a melhor exegese e o melhor exegeta. Nele, podemos apresentar exegeses que honrem a Deus.

Leia mais sobre exegese em: http://issoegrego.com.br/exegese/

 

Publicado originalmente em https://portugues.logos.com, em 01/04/2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s