Mais do que muito ouro depurado e o destilar dos favos: Delícias da Bíblia

Como eu disse no último post, neste e no(s) próximo(s) pretendo apresentar alguns pensamentos sobre textos que me saltaram a vista na leitura bíblica concluída em 2014 no Logos Bible Software. Neste post vou abordar Gênesis 37–50; Êxodo 2.23–3.18 e Êxodo 18.1-12.

Seus irmãos lhe tinham ciúmes” (Gn 37.11)

Guia de Passagem do Logos Bible Software para iPad
Guia de Passagem do Logos Bible Software para iPad

Ao ler novamente a história de José, chamaram-me a atenção os paralelos que existem entre José e Jesus Cristo.

– Ambos foram vendidos
– Ambos foram traídos
– Ambos foram perseguidos por inveja e ciúmes
– Ambos foram para o Egito
– Ambos foram salvadores do povo e de todo mundo
– Ambos foram duramente tentados
– Ambos “voltam” para casa: os ossos de José são levados para Canaã, Jesus ressurge.
– Ambos perdoam seus traidores
– Ambos atuaram como reis, profetas e sacerdotes
– Ambos são o filho predileto
– Ambos são reverenciados pelos seus irmãos

José foi um tipo de Jesus Cristo. Com sua fidelidade a Deus (pela graça) ele foi um instrumento para a preservação da semente santa, alguém que preservou a vinda de Jesus Cristo. Neste último sentido, o José filho de Jacó representa também o José, pai de Jesus, como aquele que foi escolhido por Deus para proteger o filho encarnado de Deus.

Êxodo 2.23–3.18

Texto com marcações pessoais visto no Logos para iPad
Texto com marcações pessoais visto no Logos para iPad

image

image

Esse texto nos revela muito a respeito de Deus, sua obra e pessoa, bem como sobre um padrão reconhecível na Escritura sobre a vida do povo de Deus. O contexto é de sofrimento e opressão do povo de Deus pelos egípcios. Em meio ao sofrimento, o povo de Deus, clama ao Senhor. Deus ouve, vê, atenta e se lembra de que esse é o seu povo (aliança). Deus levanta um libertador. O resultado é uma maior revelação de Deus e a libertação do seu povo. Deus nesses versículos se revela como Yahweh, Deus, “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”, “Eu Sou o Que Sou”, “Deus dos Hebreus” e “Senhor, nosso Deus”.

Como disse, o padrão de sofrimento, clamor (salmos de lamento) e ação salvífica de Deus por meio de um mediador é repetido à exaustão na Bíblia. Com isso, Deus nos ensina que (1) nós vivemos em um mundo quebrado e amaldiçoado e, por isso, como povo de Deus nós inevitavelmente vamos sofrer. (2) Em meio ao sofrimento, temos o direito e o dever de clamar a Deus (e temos liberdade de expressão diante dele). (3) Ele, o Senhor da Aliança, o Deus de nossos pais, o Eu Sou o que Sou, nos ouvirá, verá e virá em nosso favor, como já fez, de maneira definitiva em Cristo Jesus.

A resposta do povo da aliança a esse padrão de sofrimento – clamor – ação salvífica de Deus é: Louvor! “E o povo creu; e, tendo ouvido que o Senhor havia visitado os filhos de Israel e lhes vira a aflição, inclinaram-se e o adoraram”. (Êxodo 5.31)

Não e exagero dizer que esse padrão pode ser encontrado no livro dos Salmos, na história de Israel (várias vezes) em diversos livros bíblicos e na história de Deus como um todo (eis a razão de Apocalipse ser um dos livros em que mais encotramos louvor na Bíblia).

Êxodo 18

Imagem do Holman Bible Atlas no Logos para iPad.
Imagem do Holman Bible Atlas no Logos para iPad.

Esse foi um dos textos que mais me chamou a atenção no ano passado e virou um sermão intitulado “A Conversão de Jetro”. Jetro, também chamado de Reuel, era o sogro de Moisés (veja Êx 2.16-22, 3.1 e 4.20). Ele é chamado de sacerdote de Midiã. Os midianitas eram descendentes de Abraão (Gn 25.1-4) e foram os compradores de José (Gn 37). O rei dos midianitas foi quem contratou Balaão para amaldiçoar o povo de Israel e guerreou contra Israel (Nm 22, 25 e 31). Os midianitas oprimiram os judeus na época dos juízes, e Gideão foi o libertador (Jz 6-8). Na época de Jetro, os midianitas provavelmente ainda tinham alguma noção do Deus de Abraão (500 anos depois), mas, ao mesmo tempo, estavam envolvidos em muita idolatria, o que coloca Jetro na posição de um sacerdote idólatra. Como Jetro de converteu a Yahweh?

O texto mostra os seguintes passos da conversão de Jetro. (1) Ainda em sua terra, ele ouviu falar dos atos de Deus (18.1). (2) Vindo encontrar-se com Moisés, e sendo muito respeitosamente tratado por esse, ele ouviu a narração dos atos salvíficos de Deus por parte de Moisés (18.8). (3) Ele se alegrou (18.9), (4) louvou a Yahweh (18.10), (5) constatou por experiência própria (18.11), (6) apresentou uma oferta (18.12) e comeu diante do Senhor (santa ceia, 18.12).

Em suma, mesmo no Antigo Testamento, Deus já tinha o objetivo de salvar pessoas de fora de Israel (Raabe, Rute, Naamã, Nabucodonosor, Ninivitas). Ainda hoje, Deus continua salvando pessoas e todos são convidados a encontrar a alegria que Jetro encontrou no Deus de Israel por meio de Cristo. Como cristãos, devemos ser o megafone de Deus na terra, aqueles que anunciam o que ele tem feito na história e em nossas vidas.

 

Publicado originalmente em https://portugues.logos.com, em 17/12/2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s