Vamos falar sobre sexo? (1 Coríntios 6.1-13)

Expressão que o sumo-sacerdote de Israel levava em uma coroa de ouro sobre a sua cabeça: Santidade ao Senhor.
Expressão que o sumo-sacerdote de Israel levava em uma coroa de ouro sobre a sua cabeça: Santidade ao Senhor.

.

1 Por toda parte se ouve que há imoralidade entre vocês, imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, ao ponto de um de vocês possuir a mulher de seu pai. 2 E vocês estão orgulhosos! Não deviam, porém, estar cheios de tristeza e expulsar da comunhão aquele que fez isso? 3 Apesar de eu não estar presente fisicamente, estou com vocês em espírito. E já condenei aquele que fez isso, como se estivesse presente. 4 Quando vocês estiverem reunidos em nome de nosso Senhor Jesus, estando eu com vocês em espírito, estando presente também o poder de nosso Senhor Jesus Cristo, 5 entreguem esse homem a Satanás, para que o corpo seja destruído, e seu espírito seja salvo no dia do Senhor.

6 O orgulho de vocês não é bom. Vocês não sabem que um pouco de fermento faz toda a massa ficar fermentada? 7 Livrem-se do fermento velho, para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. Pois Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado. 8 Por isso, celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da perversidade, mas com os pães sem fermento, os pães da sinceridade e da verdade.

9 Já lhes disse por carta que vocês não devem associar-se com pessoas imorais. 10 Com isso não me refiro aos imorais deste mundo, nem aos avarentos, aos ladrões ou aos idólatras. Se assim fosse, vocês precisariam sair deste mundo. 11 Mas agora estou lhes escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer. 12 Pois, como haveria eu de julgar os de fora da igreja? Não devem vocês julgar os que estão dentro? 13 Deus julgará os de fora. “Expulsem esse perverso do meio de vocês.” (1 Coríntios 6.1-13, NVI)

Nossa sociedade está saturada de sexo. Literatura, programas de TV com insinuações sexuais nos mais diversos horários, músicas com vozes gemidas, danças cheias de movimentos sensuais, vestuário insinuante, comerciais dos mais variados produtos sempre apelando para a quase-nudez e a ultra sexualizada Internet. A indústria do sexo move em torno de US$ 100 bilhões por ano.1 E os cristãos brasileiros? Algumas pesquisas mostram que os cristãos brasileiros, tanto casados quanto solteiros, não vivem de maneira diferente dos demais no que concerne ao sexo. Eles têm praticado sexo livremente, fora do casamento, tanto quanto os que não têm sobre si o nome de Cristo.2 Tudo isso, faz com que o estudo desse texto bíblico seja totalmente urgente.

A situação na Igreja de Corinto é grave. Tem um homem que está mantendo relações sexuais com a mulher de seu pai e a igreja está orgulhosa! A situação havia se tornado pública. Todos, descrentes e pessoas de outras igrejas, estavam comentando aquela situação, que não era aceita nem mesmo na indecente sociedade coríntia. Enquanto isso, os cristãos coríntios, em vez de estarem cheios de tristeza e agindo para corrigir o problema, sentiam-se muito espirituais…

A solução proposta por Paulo é bastante clara (vs. 5.3-5), este homem tem que ser entregue a Satanás para destruição da carne! A linguagem de Paulo é solene e muito dura. Ele afirma que aquele homem que escolheu a imoralidade deveria ser expulso da igreja, excomungado, tirado da comunhão dos santos e consequentemente, fora da esfera de influência do corpo de Cristo, ser entregue a Satanás. Qual era o objetivo do apóstolo? “A fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor”. Para Paulo, aquele homem, ao ser tirado da igreja sofreria tanto (destruição da carne) que isto serviria de alguma forma para que ele voltasse ao Senhor e fosse eternamente salvo! A razão de ser da disciplina na igreja é o amor!

Nos versos 5.6-8, Paulo apresenta a razão teológica de tal decisão. Primeiro ele relembra que não tratar daquele caso aponta para a soberba dos coríntios. Lição: um dos motivos de uma igreja não aplicar disciplina é a soberba. Segundo, Paulo compara o pecado ao fermento, um pouco de fermento faz uma massa inteira ficar levedada, da mesma forma, um pecado grave e público não resolvido pode contaminar uma igreja inteira! Terceiro, olhando para a Páscoa do Antigo Testamento e aplicando-a aos cristãos do Novo Testamento, Paulo afirma que o sacrifício de Cristo, nosso cordeiro pascal, ocorreu para nos transformar em pães sem fermento (pessoas sem pecado). Assim, devemos lutar, individual e coletivamente, para expulsar toda a maldade e malícia de dentro de nós, e praticarmos a sinceridade e a verdade.

Nos versos 5.9-13, Paulo conclui o assunto com dois tópicos. Primeiro, ele fala sobre a luta para manter a igreja pura. Cristãos não devem se envolver com aqueles que se dizem irmãos, mas vivem decidida e publicamente em pecado (todos somos pecadores, a diferença entre uns e outros é que uns lutam contra o próprio pecado, outros vivem em pecado e não se incomodam com isso). Igrejas (cristãos) têm o dever de julgar a vida moral de seus membros (irmãos) e não se associar com aqueles que não querem abandonar os seus pecados. Aquele que está se convertendo pode cantar “eu venho como estou”, mas o cristão não deve continuar cantando “eu continuo como eu era”! Tem que haver santificação. Tem que acontecer mudança. E se isso não acontece, a igreja é chamada por Deus para disciplinar essa pessoa. Assim, após apresentar o problema (imoralidade), a solução e seu objetivo (disciplina para salvação do espírito), a base teológica (páscoa) e a base prática (para que não haja proliferação dos pecados no corpo de Cristo), Paulo conclui: “Expulsai, pois de entre vós o malfeitor”.

Quais são os ensinos que esse texto bíblico nos traz: (1) o evangelho que superenfatiza a graça de Deus ao ponto de permitir que cristãos vivam tranquilamente em pecado e crê que a disciplina da igreja é um absurdo é um evangelho espúrio, é graça barata. (2) A igreja tem o dever de cuidar da vida “pessoal” dos seus membros e conduzi-los para a restauração da imagem de Cristo neles. (3) a igreja tem o dever de disciplinar (até expulsar, se for o caso) homens e mulheres que se dizem cristãos, mas vivem como ímpios. (4) Essa disciplina tem como base o amor. Ela visa manter a pureza da Igreja e também salvar aquele que decidiu viver em pecado, ainda que isso implique em sofrimentos para ele. (5) Em meio a uma sociedade tão infectada pela impureza sexual, nós, cristãos, somos chamados para ser diferentes! Devemos viver de forma pura, como pães asmos, pois Cristo, o nosso Cordeiro Pascal, morreu para fazer de nós um povo puro e santo.

Portanto, desligue a TV quando o programa te fizer pecar. Olhe para outro lugar, quando você estiver olhando algo ou alguém que Jesus não olharia. Procure encher a sua mente de coisas puras (Fp 4.8). Seguindo o exemplo de Jesus, memorize e use textos bíblicos que te ajudem a lutar contra tentações específicas (Lucas 4, “está escrito”). Não vá a lugares que Cristo não frequentaria. Não navegue em sites pornográficos ou semi-pornográficos. Gaste tempo lendo a Bíblia e falando com Deus em oração. Use o seu tempo vago para fazer boas obras. Quando se relacionar com ímpio, ilumine-os com sua luz em vez de ser infectado com as trevas deles. Lembre-se que a graça de Deus te dá tudo o de que você precisa para vencer as tentações (1Co 10.13 e 2Pe 1.3). Faça um pacto pela pureza (Jó 31.1).3 Lute pela pureza de tua igreja (Mt 18.15-18). Confesse, de forma específica, os seus pecados a Deus e lembre-se de que ele restaura o pecador arrependido (Sl 32; Sl 51; 1 Jo 1.9). Encontre um cristão maduro na fé que possa te ajudar e a quem você vai prestar contas de tua vida pessoal (Tg 5:16). Encha-se do Espírito Santo de Deus (Ef 5.18, Gl 5.16-25). Viva para a glória de Deus em todas as coisas, inclusive com a tua vida sexual (Rm 12.1-2, Cl 3.23).

Oração: Senhor Deus, vivemos em uma sociedade que barateia e perverte a bênção que é o sexo. Desse sexo praticado na hora errada e da maneira errada essa mesma sociedade nos satura. A nossa carne também tem a tendência de nos levar para o erro nessa área, nos fazendo desejar e querer ser desejados. Ajuda-nos, Deus Santo, a vermos o sexo como algo santo, puro e bom, criado pelo Senhor mesmo, para dentro dos limites do casamento. Ajuda-nos também vivermos de maneira santa, iluminando em vez de sermos contaminados pelas trevas. Dá-nos pureza, Senhor. Em nome de Jesus. Amém.

.

1 http://www.beautyfromashes.org/contentpages.aspx?parentnavigationid=288&viewcontentpageguid=3293b02d-f447-4afe-a0be-f120fc8471b4

2 http://www.bepec.com.br/pesquisa.html

3 http://www.solanoportela.net/pacto_pureza.htm

.

.

Ajuntei abaixo alguns links que podem te ajudar a vencer a batalha da santificação sexual, dia a dia.

Um comentário sobre “Vamos falar sobre sexo? (1 Coríntios 6.1-13)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s