Sendo ajudado e ajudando no corpo de Cristo: Vencendo a pretensa auto-suficiência idólatra e motivando a ajuda mútua

Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. 9 Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos; 10 o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos, 11 ajudando-nos também vós, com as vossas orações a nosso favor, para que, por muitos, sejam dadas graças a nosso respeito, pelo benefício que nos foi concedido por meio de muitos (2 Corintios 1.8-11).

Esse é um capítulo especialíssimo das Escrituras. Fala sobre a maneira que Deus trata conosco, fazendo com que passemos por tribulações a fim de sermos consolados e aprendermos a consolar a outros. Assim e a dinâmica da vida cristã: todos precisam de todos, todos devem ajudar e todos devem ser ajudados. No versículo oito, Paulo fala sobre a tribulação que enfrentou na Ásia, provavelmente se referindo às lutas que enfrentou em Éfeso, narradas em Atos 19.23ss. Por que Paulo fala sobre isso? Ele fala para dar testemunho e para expressar gratidão pelo papel que os coríntios tiveram em sua tribulação, por meio de suas orações e pelos benefícios que outros lhe proporcionaram (ajudas práticas).

Como a maioria de vocês sabe, eu e minha família nos mudamos para os Estados Unidos no último mês. Viemos para que eu possa cursar um doutorado em Novo Testamento a fim de continuar servindo a Cristo e a igreja dele. Essa mudança me deu a oportunidade de refletir sobre o quanto já fui e tenho sido ajudado por outras pessoas e instituições, instrumentos de Deus, em minha caminhada acadêmica.

Quando fiz meu bacharelado em teologia no Seminário JMC, fiz com o suporte financeiro de meus presbitérios (PRAT e PNPT) e igrejas (IP Unida de Suzano, IP do Centenário e IP de Vila Nilo [CP Flor de Maio]). Tive oportunidade depois de cursar um mestrado em Antigo Testamento no Andrew Jumper, e o fiz ficando na casa dos pais e contando com o apoio da Igreja Presbiteriana de Icaraí e com bolsa do Instituto Presbiteriano Mackenzie, um privilégio bendito que o IPM concede aos pastores presbiterianos.

Depois veio a primeira experiência fora do Brasil: o mestrado em Novo Testamento no Calvin Seminary. Além de bolsa conseguida na própria instituição, pelo prof. Carl Bosma, recebi ajudas de tantas pessoas que se colocasse o nome aqui seria injusto por esquecer o nome de alguns: pais, igrejas, familiares, amigos e irmãos em Cristo do Brasil, irmãos brasileiros que estavam estudando no Calvin, irmãos de vários países distintos que estudavam no Calvin, pessoas que eu nunca conheci e que ajudaram de alguma forma: dinheiro, comida pronta, serviço em casa, móveis, montagem de móveis, roupas, impressora, cuidado com as crianças, dicas, conselhos e outras inúmeras formas nas quais o próprio Deus usou as pessoas mais diferentes para nos abençoar.

De volta no Brasil, resolvi cursar o Doutorado em Ministério. Novamente, só conseguir fazer por ter bolsa do IPM e por contar com suporte enorme da família, de parentes, dos colegas de CPAJ e de outros irmãos em Cristo.

Agora, novamente, estou recebendo o privilégio de poder estudar nos Estados Unidos, fazendo um doutorado em Novo Testamento. Como foi possível? Novamente, devo muito a muitos: CPAJ, JET, IPM, Langham e Trinity provêem o nosso sustento. Uma família querida pagou metade de nossas passagens quando perdemos as primeiras por causa do atraso do visto. Outras ajudas tantas, orações e benefícios, foram providos por muitos irmãos queridos e familiares, coisas pequenas e grandes; não fizemos nada sozinhos, tudo foi feito com a ajuda de irmãos queridos, orações, suporte e apoio.

Ao chegar aqui, fomos buscados no aeroporto por irmãos do Trinity, que têm se mostrado piedosos e solícitos. Na correria para comprar móveis e carregá-los, mais ajudas de colegas do Trinity. Ainda assim, sentimos falta da família, dos irmãos queridos que deixamos no Brasil e da comunidade de brasileiros que tínhamos no Calvin. Aluguel de casa, compra de carro, escola para as crianças, documentação, adaptação ao sistema escolar são muito mais difíceis e caros sem uma comunidade de irmãos em Cristo para nos dar suporte mais efetivo e próximo; que falta que faz uma igreja!!

Mas, por favor, entendam: o objetivo aqui não é a lamentação, mas sim a gratidão e o lembrete a mim mesmo e a todos, de que devemos nos abençoar mutuamente, estando prontos a ajudar e ser ajudados.

Portanto…

À todos que tem participado de nossa caminhada de vida e que nos abençoaram de alguma maneira, queremos dizer que não importa o tamanho que você acha que sua ajuda teve, você foi instrumento de Deus em nossas vidas; mãos, pés e suporte do próprio Jesus, e nós somos muito gratos a você. Continue firme e continue abençoando a vida de outras pessoas. Pais, família e irmãos em Cristo: muito obrigado!

À você que tem dificuldade de receber ajuda, de reconhecer que recebeu ajuda e que tende ao orgulho (todos em alguma medida): lembre-se de que a forma de vida no Reino é comunitária. Precisamos (todos) ajudar e precisamos (todos) reconhecer que somos carentes da ajuda e do serviço de outros irmãos. Nas conquistas devemos reconhecer que várias mãos nos empurraram e puxaram ao longo do caminho e, portanto, não podemos nos gloriar no que foi recebido como se tivesse sido conquistado (Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido? 1Co 4.7).

Em suma, senso de comunidade: disposição de ajudar, disposição de receber ajuda, gratidão e humildade são bênçãos para serem praticadas e reconhecidas para que a glória seja daquele que faz tudo em todos. “Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!” (1Tm 1.17).

PS: qualquer dia desses conto como foi possível casar ganhando R$ 900,00 por mês e ter o primeiro filho sem plano de saúde…

Um comentário sobre “Sendo ajudado e ajudando no corpo de Cristo: Vencendo a pretensa auto-suficiência idólatra e motivando a ajuda mútua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s