Sabedoria em Forma de Cruz (1 Coríntios 2.6-9)

6 Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; 7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória; 8 sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glória; 9 mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. (1 Coríntios 2.6-9)

 

No parágrafo anterior (1Co 2.1-5), Paulo externou aos coríntios várias características de sua pregação, principalmente características negativas, ou seja, elementos que o apóstolo conscientemente deixou de fora de sua pregação como oratória rebuscada, exposição de sabedoria humana e apresentação pessoal forte do orador. Paulo abriu mão dessas coisas para que a fé dos coríntios fosse baseada no poder de Deus e não na sabedoria de homens.

Paulo continua, nesse parágrafo (1Co 2.6-9), falando sobre sua pregação, mas agora ele se volta mais para o conteúdo. O parágrafo começa com um contraste. Em vez de se utilizar de todos aqueles meios humanos de convencimento, Paulo expôs sabedoria entre os maduros (experimentados), mas não a sabedoria filosófica tão apreciada pelos coríntios. Paulo falou da sabedoria de Deus. Quanto à sabedoria deste século, tanto a dos filósofos quanto a dos poderosos, ele afirma que se reduzem a nada.

Já com relação à sabedoria de Deus, Paulo afirma o seguinte: (1) foi oculta em mistério; (2) foi preordenada desde a eternidade para a nossa glória; (3) os poderosos deste mundo não a conheceram; (4) não pode ser entendida por meios naturais. Paulo afirma essas características sobre a sabedoria de Deus, mas ele não a define nesse parágrafo. Que sabedoria é esta? Que mistério é este? O que é isto que olhos, ouvidos e coração humanos não têm poder de compreender?

A resposta encontra-se em versículos como “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” (1Co 1.18); “Mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.” (1Co 1.23-24) “Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado.” (1Co 2.2)

A sabedoria que ficou oculta em mistério, portanto, é a salvação por meio da fé no Cristo crucificado, por judeus e por pessoas de qualquer lugar do mundo, desde que creiam. Não há maior sabedoria neste mundo do que entender a crucificação do Filho de Deus. Não há maior sabedoria do que entender-se como um pecador sem mérito que precisa crer que a morte de Jesus foi uma morte substitutiva. Não há maior sabedoria do que aceitar que este sacrifício foi em teu lugar e passar a viver humildemente para retribuir amor a Deus e encontrar alegria nele.

Sim, um dos piores instrumentos de tortura já inventados tornou-se a tábua de salvação para todos os que se agarrarem a ela! A cadeira elétrica do primeiro século se tornou o maior símbolo de amor de todos os tempos. A cruz é a prova maior de que Deus amou tanto ao mundo que fez-se homem, viveu cumprindo a lei que ele mesmo criou e mesmo assim morreu de forma horrenda, suportando dores físicas terríveis e dores espirituais ainda piores. Você nunca foi tão amado e acolhido! Sendo assim, creia no Cristo crucificado! Aproprie-se do sacrifício dele em teu favor! Não despreze um amor tão grande. Humilhe-se: assuma-se como pecador necessitado que somente poderá ser salvo dos pecados e da punição deles pelo sacrifício de Cristo. Haverá punição eterna para aqueles que não fizerem isto. Haverá delícias eternas para aqueles que aceitarem a sabedoria em forma de cruz.

 

 JUNTO À CRUZ DE CRISTO

(Hino 263 do Hinário Novo Cântico)

 

Na cruz de Jesus Cristo,
Meus olhos podem ver
Um vulto agonizante,
Por mim, ali morrer!
Então, estremecido,
Contemplo o grande amor!
Amor incomparável.
Por mim, vil pecador!
 
Bem junto à cruz de Cristo
Eu quero me abrigar;
À sombra do madeiro
Alento posso achar.
Aragem no deserto,
Na estrada um doce lar,
Jesus sempre ameniza
Meu àrduo caminhar.
 
Viver eu quero sempre
À sombra dessa cruz!
Nenhum fulgor anseio
Senão o de Jesus!
O mundo abandonando,
Eu tudo quis perder,
Porquanto achei a Cristo
Que transformou meu ser!

 

 

João Paulo Thomaz de Aquino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s