Igreja de Deus (1 Coríntios 1.1-3, parte 2)

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPaulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo, e o irmão Sóstenes, à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo (1 Coríntios 1.1-3).

          No último post vimos que as características e uma igreja fiel foram definidas de maneiras diferentes em épocas diferentes e terminamos dizendo que 1Co 1.2 também propõe uma lista de sete características da igreja: (1) a igreja é de Deus; (2) A igreja é local; (3) a igreja é composta por aqueles que foram chamados para ser santos; (4) a igreja é católica; (5) a igreja é composta por pessoas que invocam o nome de Cristo; (6) a igreja é composta por pessoas que se submetem a Cristo como Senhor e (7) a igreja é una. Vejamos de maneira introdutória cada uma dessas características.

(1) A igreja é de Deus – a primeira coisa que Paulo fala sobre a igreja é que ela é de Deus. Ela não pertencia ao próprio Paulo que a havia começado, nem pertencia as pessoas que estavam se levantando contra Paulo na igreja de Corinto, mas a Deus! Deus é o idealizador, aquele que dá o crescimento, levanta os líderes, sustenta o povo. A igreja pertence a ele e deve viver para o seu louvor e serviço. A igreja é de Deus.

(2) A igreja é local – O Novo Testamento usa a palavra igreja tanto para a união de todos os cristãos de todos os lugares, como também para uma comunidade que se reúne em um local específico, como é o caso em nosso texto. A igreja tem uma dimensão local. Ela está em algum lugar, sofre influências deste lugar e identifica-se com esse local, esse é um dos motivos pelos quais temos igrejas tão diferentes no Novo Testamento e no mundo.

(3) A igreja é santa – A igreja de Corinto é a igreja menos santa do Novo Testamento. Há erros morais ali que não se encontravam nem mesmo entre ímpios. Ainda assim e até mesmo por isso, Paulo escreve essa carta aos “aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos”. Note a ênfase na santidade. A igreja dos coríntios e todas igrejas devem ser santas porque Deus já lhes santificou. O sacrifício de Cristo providenciou tudo o que era necessário para uma vida de santidade. Viver de forma santa é cumprir o propósito da vocação. É para isso que eles foram chamados. Uma igreja necessariamente deve ser caracterizada pela santidade e deve envidar todo esforço possível para estabelecer e manter sua pureza.

(4) A igreja é católica – a igreja é local, mas também é universal, católica. O termo da moda seria: a igreja é Glocal. Nenhuma igreja local e nenhuma denominação pode ver a si mesma como a única igreja universal ou a única igreja católica (ou mundial). A igreja de Jesus é composta por pessoas de todos os lugares e é caracterizada por essa consciência. E essa consciência deve levar a igreja local a agir em prol da igreja católica, ou seja, de outras comunidades de cristãos que estiverem com alguma necessidade.

(5) A igreja é composta por pessoas que invocam o nome de Jesus Cristo – qualquer organização que não invoque Jesus não é digna de ser chamada igreja. A igreja é caracterizada por clamar a Cristo, por apelar a ele em seus momentos de angústia e por ter uma pregação e uma adoração centradas em Cristo.

(6) A igreja é composta por pessoas que se submetem a Cristo como Senhor – Cristo é o Senhor da igreja, de cada uma delas e da igreja como um todo. Tanto a igreja como organismo/organização quando cada um de seus membros deve ter essa consciência de invocar a Cristo como Senhor e viver de forma compatível com isso.

(7) A igreja é una – finalmente, a última característica que Paulo atribui à igreja  é a unidade. Depreende-se essa característica de quando Paulo fala “com todos os que em todo lugar”. Os coríntios precisavam conscientizar-se de que não eram a única igreja sobre a face da terra e deveriam, portanto, se envolver com as demais igrejas e com os demais cristãos.

Assim Paulo define a igreja: igreja de Deus, santa, local, católica e una, que invoca Jesus e submete-se ao seu senhorio. Para que a igreja seja assim, você e eu precisamos ser caracterizados por uma consciência e uma atitude que lutem para que essas características sejam reais.

Oração: Fortalece a tua igreja, ó bendito Salvador. Dá-lhe tua plena graça, vem renova seu vigor. Vivifica nossas almas, ó Senhor. (H. M. Wright, Hino 299 do Hinário Novo Cântico, Editora Cultura Cristã)

Um comentário sobre “Igreja de Deus (1 Coríntios 1.1-3, parte 2)

  1. Pingback: Igreja de quem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s