2 em 1: serão os dois uma só carne (Gn 2.24-25)

(João Paulo Thomaz de Aquino)

Moisés está escrevendo para o povo que está saindo do Egito rumo à Terra Prometida. O relato de Gênesis é uma explicação de quem é Yahweh (Soberano Criador do Mundo) e quem eles são (herdeiros da promessa de Deus com Abraão).

  • Gn 1 – Criação de todas as coisas
  • Gn 2 – Criação do homem e da mulher
    • Formação do HomemGênesis 2.5-17  Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. 6  Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo. 7  Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. 8  E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, na direção do Oriente, e pôs nele o homem que havia formado. 9  Do solo fez o SENHOR Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal. […] 15  Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. 16  E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, 17  mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
    • Formação da Mulher – Gênesis 2.18-25 Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora[1] que lhe seja idônea[2]. 19 Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome deles. 20 Deu nome o homem a todos os animais domésticos, às aves dos céus e a todos os animais selváticos; para o homem, todavia, não se achava uma auxiliadora que lhe fosse idônea. 21 Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. 22 E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe[3]. 23  E disse o homem: Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada. […] 25 Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam.
  • Nudez, sem vergonha – Independente da forma física, não existe corpo perfeito. “há, no padrão verdadeiro dado por Deus, perfeito bem estar entre eles”. (Kidner, p. 62)
  • Porque Gn 2.24 está exatamente onde está no texto? Ele faz parte da narrativa? Quem disse isto? Disse para quem?

Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam. Gênesis 2.24-25

No primeiro capítulo de Gênesis, Moisés narrou a criação de todas as coisas, sem um foco específico no ser humano, a não ser no que concerne a um destque do ser humano como imagem e semelhança de Deus, o que inclui com destaque o fato de serem homem e mulher (Gn 1.26-27). Agora, no capítulo 2, Moisés foca na criação do ser humano. Ele explica com mais detalhes como o homem foi feito e como a mulger foi feita a partir do homem. O que é muitíssimo interessante, no entanto, é que o texto tem uma conclusão. Os versos 2.24-25 formam a conclusão que Moisés objetivou fazer a partir do relato histórico da criação do homem, da mulher e do primeiro casamento. Waltke coloca da seguinte forma: “Este aparte [v. 24-25] do narrador indica o arquétipo propósito da história. Todo casamento é divinamente ordenado.”[4]

O relato de Gênesis 2 existe para responder uma série de perguntas daquele povo que entraria na Terra Prometida:

  • Porque o homem tinha que lavrar o solo, cultivar e guardar o jardim e dar nome aos animais?
  • Porque o homem tinha que obedecer a Deus?
  • Porque não é bom que o homem esteja só?
  • Porque o homem precisa de uma ajudadora que lhe corresponda?
  • Porque quando dava nome aos animais ficou evidente que para o homem, todavia não havia uma ajudadora correspondente?
  • Por causa destas coisas Deus fez uma mulher não da terra, mas de parte do homem (completude) e o homem a reconhece como sua correspondente nos ossos, na carne e no nome (completude).
  • Vejamos resumidamente algumas ideias centrais desses versículos:
  • Homem deixa pai e mãe – deixar, abandonar, independência: físico, financeiro, psicológico. Deixa de ser filho para tornar-se amigo. O deixar físico é importantíssimo, pois, sem ele, é quase impossível os demais (conseqüências se os pais escutam discussão: desabafo, quebra de relacionamentos). “Visto que o esposo e a esposa são uma só carne, a união matrimonial tem prioridade sobre a união procriativa. As obrigações do esposo para com sua esposa têm precedência sobre outras prioridades.”[5]
  • Une[6] a sua mulher – macho e fêmea os criou – “Assim, Gn 2.23 significa: a mulher é para o homem, por assim dizer, o lugar no mundo onde ele se sente em casa. O relacionamento íntimo com ela cria o lar” (DITNT, Vol 1, p. 275)
  • Serão uma só carneSarx mia (Mateus 19.5b) tem um significado especial como tradução do Hebraico basar  ‘ehad (‘uma carne’) de Gn 2.24. A união do homem e da mulher cria um novo relacionamento. “’Uma só carne’ não significa, em primeira instância, relações sexuais, embora as inclua. Significa o vir a ser de uma existência unitária, uma sociedade completa entre o homem e a mulher, que não pode ser dissolvida sem lesar os participantes. Isto não significa que todo casamento é automaticamente uma sociedade tão completa. Pelo contrário, este companheirismo completo é a promessa do casamento, que deve ser reivindicada. É o significado do casamento que Deus outorgou (Mt 19.6). (DITNT, vol 1, p. 280)
  • Estavam nus e não se envergonhavam – “Nesse estado ideal, homem e mulher viam suas pessoas e sexualidade com integridade, e por isso não sentiam vergonha em sua nudez. Aqui sua nudez é uma imagem de franqueza e confiança. Com a perda da inocência na queda, sentirão vergonha e tentação, e por isso precisarão proteger sua vulnerabilidade pelo obstáculo da roupa”.[7] Há uma clara indicação neste textos (e no contexto) da pureza da relação sexual realidade dentro do contexto do casamento. Os casais deveriam orar em gratidão a Deus após terem suas relações sexuais. Sexo no casamento, muito contrário à imoralidade, é uma bênção e um combustível à uma vida santa (1Co 7).

 

CONCLUSÃO

 

O Absurdo do Divórcio 

Mateus 19:5-6 (Mc 10.8) Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne? 6 De modo que já não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.

Malaquias 2.16   Porque o SENHOR, Deus de Israel, diz que odeia o repúdio e também aquele que cobre de violência as suas vestes, diz o SENHOR dos Exércitos; portanto, cuidai de vós mesmos e não sejais infiéis.

 

O Absurdo do Adultério

1Coríntios 6.16  Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne.

Provérbios 5.1-15   Filho meu, atende a minha sabedoria; à minha inteligência inclina os ouvidos 2   para que conserves a discrição, e os teus lábios guardem o conhecimento; 3   porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite; 4   mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes. 5   Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno. 6   Ela não pondera a vereda da vida; anda errante nos seus caminhos e não o sabe. 7   Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e não te desvies das palavras da minha boca. 8   Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa; 9   para que não dês a outrem a tua honra, nem os teus anos, a cruéis; 10   para que dos teus bens não se fartem os estranhos, e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia; 11   e gemas no fim de tua vida, quando se consumirem a tua carne e o teu corpo, 12   e digas: Como aborreci o ensino! E desprezou o meu coração a disciplina! 13   E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem a meus mestres inclinei os ouvidos! 14   Quase que me achei em todo mal que sucedeu no meio da assembléia e da congregação.15   Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço.

A honra de tipificarmos o relacionamento de Cristo e da Igreja 

Efésios 5:31-32  Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja.

  • Deus é o Criador do homem, da mulher e do casamento (Comunhão e Obediência)
  • Homem foi feito para administrar a Criação (Trabalho, Mandato Cultural)
  • Não é bom que o homem esteja só
  • A mulher foi feita como ajudadora correspondente
  • A mulher sem filhos é completa
  • Em tudo (Gn 1.27 anatomia, falta, costela, poesia, nome) está presente a ideia de união que gera completude. Isto é o oposto do egoísmo (brigas, auto-preservação, falta de perdão, competição) dos casais de nossa época.
  • Deixar, unir e unificar (físico, psicológico, financeiro, sexual, hábitos, costumes, valores, paladar). Existe a necessidade de abandonar, não 50%, mas 100% para a criação de uma nova unidade.

 

 

TAREFAS PRÁTICAS PARA CASAIS[8]

A) Relacionem três coisas que vocês acreditam que as Escrituras ensinam no trecho de Gn 2.24:

B) No que concerne ao casamento, o texto de Gn 2 indica que um dos propósitos do matrimônio é o companheirismo. Usando termos específicos, discutam o que isso significa, e relacionem 3 modos através dos quais vocês estão expressando e desenvolvendo o seu companheirismo um com o outro. Relacionem outros 5 modos que vocês podem colocar em prática.

C) Cada um pense de si mesmo e compartilhe com o outro em termos de ter deixado a família paterna e ter-se apegado ao outro, bem como em termos de unidade: 1) Realmente deixei meus pais? Em caso contrário, como não? 2) Vivo absolutamente comprometido com meu cônjuge? Sou absolutamente devotado e leal? 3) Classifiquem o nível de intimidade entre vocês no seu casamento. Qual é a proporção de unidade que vocês desfrutam em termos espirituais, recreacionais, intelectuais, sexuais, etc.?

D) Discutam e relacionem o que vocês podem fazer para fortalecer os laços de seu matrimonio?

E) Discutam e relacionem os alvos de seu casamento. O que vocês esperam de seu casamento?


[1] Ajudadora, alguém que dá suporte para.

[2] Que lhe corresponda.

[3] O próprio Deus, como o Pai da noiva, traz a mulher ao homem (G. Von Rad em Derek Kidner, p. 62)

[4] WALTKE, Bruce. Gênesis. CAT. São Paulo: Cultura Cristã, 2010, p. 106.

[5] WALTKE, Bruce. Gênesis. CAT. São Paulo: Cultura Cristã, 2010, p. 106.

[6] Apegar-se a, agarrar-se a, grudar em, unir-se a… apegar-se  alguém por afeto e lealdade (DITAT, p. 291)

[7] WALTKE, Bruce. Gênesis. CAT. São Paulo: Cultura Cristã, 2010, p. 106.

[8] Extraído e Adaptado de: MACK, Wayne. Tarefas Práticas para uso no Aconselhamento Cristão, Vol 1, São José dos Campos: Editora Fiel, 1991.

Um comentário sobre “2 em 1: serão os dois uma só carne (Gn 2.24-25)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s